Sustentabilidade

Dez mil curimatã-pacus para o Velho Chico

peixamento

Quando se pensa nas águas do Velho Chico logo é possível associá-las aos barcos, aos pescadores e aos peixes. Os peixes fazem parte do equilíbrio ecológico e representam também grande parte da fonte de renda de muitas comunidades que estão instaladas às margens do rio.

O Curimatã-pacu é uma das espécies de peixe endêmicas do rio São Francisco, isso quer dizer que eles são naturais de lá, e costumam se reproduzir na época em que a chuva é mais intensa, por isso é uma espécie de piracema. Esse tipo de peixe é considerado de grande importância para a pesca artesanal local, tanto é que na década de 80 eles representavam 20% de todo o volume de pescado  produzido aqui no Brasil.

A Codevasf, instituição federal parceira do Comitê, em convênio com a Cemig, introduziu dez mil alevinos de curimatã-pacu no rio São Francisco, próximo a nascente do rio, na cidade Iguatama-MG. O peixamento faz parte de um conjunto de ações que tem como objetivo revitalizar o Velho Chico e buscar a sustentabilidade na atividade pesqueira, aumentando a quantidade de peixes e diminuindo o impacto ambiental sobre algumas espécies migratórias.



CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Publicado em quinta-feira, 14 de novembro de 2013