CCR do Baixo realiza sua primeira reunião desta gestão

A Câmara Municipal de Propriá (SE) cedeu seu plenário nesta quinta-feira (20.10) para receber a primeira reunião da nova gestão da Câmara Consultiva Regional do Baixo São Francisco. A iniciativa do coordenador da CCR, Honey Gama Oliveira, de discutir o planejamento do grupo para as ações em defesa do Velho Chico também mobilizou a sociedade local, que lotou o plenário da casa.

Durante a reunião, o vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Maciel Oliveira, estabeleceu o dia 26 de outubro como prazo para que os membros titulares do colegiado indiquem os nomes que comporão as câmaras técnicas do CBHSF. Membro do Comitê, Ana Catarina Lopes sugeriu incluir nomes que integrem o Comitê da Bacia do Rio Piauí, de Alagoas. A proposta foi aceita pelo plenário e será discutida posteriormente.

Técnicos do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) apresentaram um projeto que será executado em parceria com o CBHSF para promover ações de educação ambiental com pescadores profissionais do Baixo São Francisco. A proposta consiste na cessão de veículos e equipamentos do órgão alagoano, com valor estimado de R$ 450 mil. “Nosso objetivo é oferecer necessidades e propostas para a melhoria da qualidade de vida dessa comunidade”, explicou Giuliano Aquino, biólogo do IMA/AL.

A proposta recebeu questionamentos e pedidos de informações adicionais. Integrante do CBHSF, Antonio Jackson Borges sugeriu modificações, incluindo a ampliação das ações para o estado de Sergipe. “A realidade do rio pede isso”, disse.

DIAGNÓSTICOS

A reunião da CCR também contou com a apresentação da Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos (Cobrape), responsável pela elaboração do termo de referência para contratação de pessoa jurídica para elaboração de diagnósticos hidroambientais para bacias hidrográficas e a região da foz do rio São Francisco. Na apresentação, o engenheiro da empresa Bruno Teixeira elencou as bacias dos rios Boacica, Perucaba, localizadas em Alagoas.

O projeto prevê o levantamento de diversos estudos que servirão de subsídios para o cadastramento das nascentes da região. O objetivo é identificar em torno de 400 delas. O planejamento da empresa também prevê aplicação de questionários com a população, realização de seminários e cursos de capacitação, entre outras ações. O prazo para execução é de sete meses. Também houve aprovação do calendário de reuniões da CCR. A próxima será em fevereiro.

ASCOM – Assessoria de Comunicação do CBHSF



CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Publicado em sexta-feira, 21 de outubro de 2016