A salinização das águas do São Francisco atinge Sergipe

Em reunião, a ANA confirmou a publicação, no Diário Oficial da União, da criação do Dia do Rio, com suspensão da captação d’água às quartas-feiras. A medida visa combater a crise hídrica

Texto: Delane Barros

Depois de Alagoas, agora é a vez da companhia de abastecimento de Sergipe (Deso) apresentar elevação do índice de salinidade da água captada no rio São Francisco. A informação foi passada na manhã desta segunda-feira, 19 de junho, durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF), e transmitida por videoconferência para os estados inseridos na bacia do Velho Chico.

O motivo para o problema está no nível atualmente praticado na região do Baixo, nos reservatórios de Sobradinho, na Bahia, e Xingó, entre Alagoas e Sergipe. Durante a reunião que avalia as condições hidrometeorológicas na bacia, a equipe técnica da Deso comunicou ter identificado um aumento muito grande no índice de salinidade.

Esse é o segundo registro do problema, desde que a vazão no Baixo passou para o nível atual, de 600 metros cúbicos por segundo (m³/s). Antes, ainda com a vazão de 700 m³/s, a prefeitura de Piaçabuçu, em Alagoas, também alertou para casos de hipertensão identificados na população, devido ao consumo de água salobra. Na oportunidade, a Casal, companhia de abastecimento no estado, mudou o ponto de captação para atendimento aos consumidores.

Apesar do alerta feito pelos representantes da Deso, a equipe técnica da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), presente à reunião, admitiu que não tem feito estudos para acompanhar a qualidade da água na região.

Suspensão

Ainda na reunião, foi confirmada a publicação da resolução da ANA no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, dia 20, através da qual institui a suspensão da captação a fio d’água no rio São Francisco todas as quartas-feiras, até o final de novembro. Será o chamado Dia do Rio. Ficam fora da medida os serviços de abastecimento humano e dessedentação animal.

O objetivo da nova regra é reforçar as ações que vêm sendo adotadas para preservar os estoques nos reservatórios da bacia do rio São Francisco, onde há sete anos chove abaixo da média. A medida é mais um esforço para evitar recorrer ao volume morto de Sobradinho até novembro, quando está previsto o fim do período seco.

Técnicos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) também apresentaram o quadro hidrológico para a bacia do São Francisco. De acordo com os estudos apresentados, a previsão de praticamente nenhuma chuva na bacia hidrográfica pelos próximos dez dias. Nesse período, a indicação aponta para apenas um milímetro de chuvas, o que não causa impacto no rio.

Participaram da reunião representantes dos estados da Bahia, Minas Gerais, Alagoas e Sergipe, além do setor elétrico, Ministério Público, Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), entre outros.



CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Publicado em terça-feira, 20 de junho de 2017