Notícias

07/12/2018

Importância ambiental e econômica do projeto Jequitaí é apresentada em Plenária


Outra preocupação do CBHSF trazida à XXXV Plenária, na manhã desta sexta-feira 07, é a segurança hídrica da população do Norte de Minas Gerais, região que vem enfrentando historicamente e, intensificada nos últimos anos, uma grave crise hídrica com desabastecimento humano. Uma das soluções apontadas e cobradas principalmente pela classe política da região é a conclusão do projeto hidroagrícola do Jequitaí. Os CBHs regionais Jequitaí/ Pacuí e Verde Grande acompanham o cumprimento das condicionantes ambientais, econômicas e sociais da outorga da licença de operação do empreendimento.


Fernando Britto, chefe de gabinete da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Minas Gerais, instituição responsável pela execução da obra, apresentou o que já foi feito e os valores investidos no projeto. “Foram recursos na ordem R$ 170 milhões oriundos do governo federal dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Revitalização) com a contrapartida do governo de Minas Gerais de R$ 14,5 milhões, para as ações regularização ambiental e fundiária”, explicou.

Segundo Britto, a crise financeira dos governos federal e do Estado de Minas Gerais são as principais razões pelo atraso nas obras. “Iniciado no ano 2011, a situação atual do projeto é de regularização fundiária. Estão sendo indenizadas 276 propriedades, numa área de 9.713 hectares”, explicou.

O chefe de gabinete solicitou a intervenção do comitê para redação de um termo de moção, solicitando às autoridades competentes priorização de recursos na ordem de R$ 250 milhões para o andamento do projeto. O pedido foi aprovado pelos membros do comitê.


Veja as fotos:



O projeto

O projeto Jequitaí tem por objetivo a sustentação do potencial hídrico do rio Jequitaí, por meio da regularização da oferta de água e de suas vazões, diminuindo os riscos de enchentes e da falta de água na época de estiagem. Com a implantação de duas barragens. A Barragem Jequitaí I, deve formar um lago que vai atingir também os municípios de Claro dos Poções e Francisco Dumont. Já o perímetro de irrigação, criado a partir da Barragem Jequitaí II, abrangerá, além de Jequitaí, parte dos municípios de Várzea da Palma e Lagoa dos Patos. O projeto Jequitaí viabilizará, ainda, a irrigação de 35 mil hectares de lavouras, com a previsão de produção de 500 mil toneladas/ano, e geração de 105 mil empregos diretos e indiretos, além da geração de energia instalada de 20,6 megawatts, beneficiando o meio urbano e rural de 16 municípios situados na sua área de influência.

Fotos: Ohana Padilha
Texto: Núbia Primo

Compartilhe:

Outras notícias

14/12/2018

Rádio São Francisco: Confira mais um podcast do CBHSF sobre a entrega de Planos Municipais Saneamento Básico no Baixo São Francisco

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) continua com sua agenda de financiamento e entrega de planos ...

Leia mais

14/12/2018

Programa de Mestrado Profissional Sustentabilidade em Recursos Hídricos, da UninCor, estão com as inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Programa de Mestrado Profissional Sustentabilidade em Recursos Hídricos, Universidade Vale do ...

Leia mais