Notícias

06/12/2018

ANA e CPRM apresentam estudo para a implementação da gestão integrada de águas superficiais e subterrâneas na bacia hidrográfica do rio São Francisco


Fundamentais para subsidiar a gestão de recursos hídricos em nível federal e estadual, o Estudo para a implementação da gestão integrada de águas superficiais e subterrâneas na bacia do São Francisco: sub-bacias dos rios Verde Grande e Carinhanha, foi apresentado pelo superintendente de Implementação de Programas e Projetos da Agência Nacional de Águas (ANA), Fernando Roberto de Oliveira, e pelo diretor da Divisão de Hidrogeologia do CPRM, João Alberto Diniz, aos membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco durante a XXXV Plenária Ordinária do CBHSF. Lançado em setembro deste ano, o projeto está sendo realizado em cooperação com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), cuja equipe técnica está executando o trabalho.


O projeto, que começou em setembro deste ano, terá duração de 36 meses. Dentro do escopo, são abordados levantamento de dados primários, de cadastramento de usuários de águas superficiais e subterrâneas, estudos sobre as rochas, sobre o solo, uso de ocupação do solo, infiltração da água nos aquíferos, estabelecimento das áreas de recarga nessa bacia, mas principalmente com foco na contribuição do aquífero para alimentação dos rios e a integração das águas superficiais e subterrâneas.

Resultado de uma orientação do Plano de Recursos Hídricos das Bacias do Verde Grande e do Carinhanha, e de uma meta do Plano Nacional de Recursos Hídricos para implementar o projeto piloto de gestão integrada, prevista pelo CNRH, o trabalho tem também como objetivo enxergar o ciclo hidrológico integrado também na gestão por meio da articulação entre os órgãos de nível federal e estadual.


Veja a apresentação da ANA e faça o download.




Segundo João Alberto Diniz, da Divisão de Hidrogeologia da CPRM, os aquíferos Urucuia e Bambuí, se constituem como sistemas hídricos de grande importância para o país, com os usos mais diversos, como manutenção de polos agrícolas em vários estados da Bacia e fora dela. “O trabalho tem como foco a ampliação do conhecimento do Aquífero Urucuia no uso racional das águas e no uso e ocupação da terra. As águas subterrâneas são responsáveis pelo suprimento hídrico dos nossos rios e pela perenização de nossas águas. Os aquíferos Urucuia e Carstico têm, particularmente para o Rio São Francisco, um importante papel de suprimento de água”, disse.


Veja a apresentação da CPRM e faça o download.


Veja as fotos:



Texto: Mariana Martins

Fotos: Ohana Padilha

Compartilhe:

Outras notícias

22/02/2019

Ministro do Desenvolvimento Regional expressa preocupação com contaminação do rio São Francisco com pluma de rejeitos de Brumadinho

Gustavo Canuto participou de audiência pública na Câmara dos Deputados, que teve a participação do vice-presidente do CBHSF, José Maciel ...

Leia mais

22/02/2019

População de Paracatu teme por barragens de rejeito de ouro e contaminação por arsênio

Paracatu, distante cerca de 480 quilômetros de Belo Horizonte, na região Noroeste de Minas, abriga a maior planta de mineração ...

Leia mais